Mirações

O que são as mirações?
É o nome que se dá às visões espirituais em estado de consciência expandida com Ayahuasca. Neste estado, todos os sentidos e percepção ficam ampliados por sofrermos menos influência que a matéria exerce sobre nossos sentidos. Toda contemplação ocorre pelo fenômeno da sintonia entre o observador e o observado. O controle das mirações não é nosso e só contemplaremos o que for necessário e adequado. Todas mirações poderão ser entendidas conforme o amadurecimento com o passar do tempo. Não há miração sem propósito, isto porque o que vivenciamos nas mirações acionam mecanismos que atuam fortemente nos planos físico, mental e consciencial.

O que miramos?
A cada instante, cada vida vibra numa frequência específica, que, a nivela com o plano equivalente na qual se manifesta. Podemos sofrer com o nivelamento, mas sofreremos menos se não oferecermos resistência, sem nos esquecermos de que cada plano é multidimensional. Há mais esforço em alcançar e se manter nos superiores do que nos inferiores.

Como a miração começa?
Para atingirmos um nível superior adjacente, atravessaremos nossos próprios planos conscienciais, vivenciando sensações corpóreas, diagramas visuais fragmentados, passagem pelo seu inconsciente pessoal e pelo “inconsciente coletivo”.

Como miramos?
Podemos mirar de olhos abertos ou fechados. O mais importante não é a miração em si, mas a compreensão que virá por meio dela.
No estado de miração, atuamos no mundo das causas, onde tudo é intenso. Passamos a atuar além do físico, na realidade além do nosso plano, de onde tudo se origina e nos afeta diretamente.
A miração é um estado semelhante a sonhar consciente e desperto e com extrema lucidez, daí a facilidade que encontramos em compreender desde aspectos práticos da nossa vida física até intrincadas questões espirituais.
Neste estado provisório, refletimos sobre as situações atemporais em busca de uma solução pelo entendimento.
Como as lições são para além do físico, “ultrapassamos” a limitação da lógica racional e compreendemos a linguagem universal dos símbolos. Não há limites.
As mirações ora são nítidas, diretas e reveladoras, ora são enigmáticas e oraculares, necessitando serem decifradas pela compreensão do participante ao longo do tempo.
Elas poderão ser densas, fugazes, de indescritível beleza ou não, mas todas serão compreensões que devem ser incorporadas à vida cotidiana para nos transformar em pessoas melhores para nós e para toda a humanidade.

Por que não miramos?
Por uma série de fatores:
– Se ainda estivermos em desenvolvimento desta condição,
– Se não houver necessidade ou se tivermos que desenvolver nossa perseverança/fé.
– Se tivermos algum bloqueio, não for o momento adequado.
A miração também é uma das manifestações do poder. E os poderes estão a serviço do saber da nossa consciência.
A miração só ocorre num estado de uma sensibilidade especial. Se usarmos a Ayahuasca e nos parecer que nada nos aconteceu, consideremos, ainda, que não só a dose podia estar inadequada,como também pode ser nossa insensibilidade, influência de condições externas que nos deixam muito tensos, ou, até mesmo porque a Ayahuasca está operando num nível de cura que independe da sua miração. Só miramos quando nos é permitida a entrada, quando assim tiver de ser, por razões que com o tempo compreenderemos.

Há “tipos” de mirações?
Podemos classificá-las em 4 tipos (apenas para uma questão de entendimento):
– As cotidianas: São as que contêm questões sociais, morais e éticas do nosso dia a dia e nossos pensamentos. Estão relacionadas à mente e com a esfera física.
– As arquetípicas: São as representadas por símbolos tais como serpentes, águias, espadas, castelos, cálices e seres míticos ou mitológicos que se relacionam ao nosso inconsciente pessoal ou ao inconsciente coletivo.
– As reveladoras: São aquelas relacionadas com estados vibracionais sutis e aos chamados “seres divinos” que se valem de todas as formas de entendimento ou cura: sons, cores, perfumes, corpos luminosos, imagens, figuras geométricas, símbolos, raios cósmicos e campos de força, diversas elementos ainda desconhecidos para nós.
– As das diretrizes espirituais: Onde nos integramos com a essência divina em estado de “ausência da mente” e obtemos esclarecimentos que aceleram nosso progresso espiritual ou do grupo a que estamos afiliados.

166total visits,1visits today