A Ayahuasca na atualidade

Ayahuasca é permitida legalmente no Brasil apenas para uso cerimonialístico. A consagração sagrada da Ayahuasca é garantida pela justiça brasileira através da Resolução Nº1 do CONAD, publicada no Diário Oficial em 25 de Janeiro de 2010. Esta resolução é o resultado das deliberações do Grupo Multidisciplinar de Trabalho para os estudos da Ayahuasca (GMT/CONAD), que produziram o documento de deontologia e atual regulamentação para uso restrito à grupos cerimonialísticos legalmente constituídos como o nosso, que possui CNPJ e Estatuto registrado em cartório.

Este reconhecimento de legalidade da Ayahuasca não é novo, é apenas uma complementação mais abrangente de outros processos de análise já ocorridos nos anos de 1986 e 1992, pelo antigo CONFEN, e que já havia deliberado por unanimidade permitir seu uso cerimonialístico.
O relator do processo de análise, Domingos Carneiro de Sá, explicou que o fato fundamental para a liberação das consagrações com Ayahuasca foi o comportamento dos participantes e a seriedade dos Institutos que realizam as consagrações.

Ressaltou que não foram observadas atitudes anti-sociais dos participantes, ao contrário, constataram os efeitos integrados e reestruturantes com indivíduos que antes de participarem apresentavam desajustes sociais ou psicológicos. Padrões morais e éticos de comportamento em tudo semelhantes aos existentes e recomendados em nossa sociedade, por vezes até de um modo bastante rígido, são observados. Obediência à lei pareceu sempre ser ressaltada. Os participantes parecem ser pessoas tranquilas e felizes. Muitas atribuem reorganizações familiares, retorno de interesse no trabalho, encontro consigo próprio e com espiritualidade, etc., através da Ayahuasca, cujo uso cerimonialístico parece não atrapalhar e não ter conseqüências adversas na vida social dos participantes. Pelo contrário, parece orienta-los no sentido da procura da felicidade social, dentro de um contexto ordeiro e trabalhador.

Mesmo com o reconhecimento legal, ainda assim é difícil falar ao mundo ocidental sobre Ayahuasca, porque para muitos é apenas uma substância, mas, para nós que a recebemos, a Ayahuasca é Sagrada e milenar, existente desde a origem de todas as coisas e que propicia vida aos seus, merecendo respeito, consideração, inclusive pelo mundo ocidental e científico, que devem considerar nosso trabalho com o mesmo respeito que os consideramos, porque cada conhecimento é apenas parte do todo.

Atualmente, a Ayahuasca se expandiu muito pelo mundo. Nos dias de hoje a bebem tanto os indígenas (que possuem uma missão de cuidar da natureza) quanto os não indígenas. Na atualidade, todos conseguem ter acesso à Ayahuasca de alguma forma mas antigamente não era assim.

Antigamente, somente os grandes curandeiros é conheciam e que bebiam Ayahuasca, somente para trabalhar em suas curas, para proteger a natureza, para defender as comunidades indígenas das enfermidades criadas no mundo por disputas. Com o passar do tempo, as comunidades também foram afetadas pelo desequilíbrio do mundo, resultado de todas essas "trocas" que passaram a ter com o mundo todo.

A Ciência analisou a Ayahuasca apenas como uma substância a investigar, sem considerar o conhecimento e sua aplicabilidade, que é para trabalho, e, unicamente para os que dela necessitam e não para qualquer circunstância, e, apenas investigaram superficialmente, limitando-a ao final como um mero objeto físico-químico de estudo, o que é muito lamentável pois, é muito bonito o trabalho da Ayahuasca com as muitas coisas que permeiam o nosso pensamento.

Contudo, os Cientistas sabem que a Ayahuasca tem um caráter sui generis que não pode ser avaliado totalmente a partir de seus componentes isolados, e, até mesmo do ponto de vista exclusivamente enquanto substância há de ser considerada a simbiose e relação entre as plantas e sua interação com o corpo humano. Há um binômio, portanto, formado pelo DMT dormente no corpo do participante (despertado pelo DMT da Chacrona) e as enzimas do corpo do participante (adormecidas pelos alcaloides do Jagube). Então o indivíduo que está dormente desperta, mediante a expansão de consciência. Portanto, nenhuma substância ativa nova é acrescida ao organismo, pois, o DMT já está presente no corpo, e, os alcalóides apenas adormecem as enzimas que estavam trabalhando para impedir que o DMT humano agisse. Por isso, o preparo corpóreo é importante.

Neste novo tempo também está havendo um novo olhar, o que, para os que receberam a Ayahuasca, é uma alegria. este novo olhar é o de algumas pessoas, de todas as nacionalidades, inclusive ocidentais como nós, que atualmente trabalham e praticam de forma respeitosa e sagrada as consagrações com Ayahuasca, com pessoas que dela necessitam para encontrar cura em suas mentes das enfermidades fruto da ignorância ideológica, sensibilizando as consciências dos enfermos para compreenderem e entenderem, curando-se da ignorância não só da missão dos nativos mas também das suas próprias missões.

341total visits,1visits today