Sonhos Lúcidos & Exercícios

sonhoslucidos

premissa de um sonho lúcido é simples e, ao mesmo tempo, misteriosa: um sonho lúcido é aquele em que você sabe em que está sonhando. A maioria de nós acorda ou tem o sonho imediatamente interrompido quando descobre, no meio dele, que está sonhando. O susto parece trazer nossa consciência de volta do mundo onírico. Mas o que talvez você não saiba é que tem gente que consegue ter sonhos lúcidos com bastante frequência e inclusive permanecer neles, mas alerta. E isso significa ser capaz de fazer tudo o que você faz acordado, mas em sonho.O melhor é que qualquer um pode treinar pra adquirir essa habilidade.

Os primeiros registros de sonhos lúcidos na história são egípcios

Alguns pesquisadores acreditam que Ba, a representação egípcia para a alma, era o ‘eu’ presente em sonhos lúcidos e projeções astrais, por exemplo. Ba era comumente demonstrado como um pássaro com cabeça de humano que flutuava acima do corpo humano. Robert Waggoner, autor de Lucid Dreaming: Gateway to the Inner Self, fala no mesmo livro que Ba pode ser o primeiro registro histórico de uma consciência itinerante, que sai do corpo mas conserva as características do corpo e da mente comuns, ou seja, nós mesmos quando estamos dentro de um sonho lúcido.

Sonhos lúcidos podem ser identificados como um outro estado de consciência

De acordo com a autora do livro Consciousness: A Very Short Introduction, Susan Blackmore, sonhos lúcidos podem ser um estado de consciência distinto daqueles que já conhecemos e alguns cientistas até acreditam que possamos, eventualmente, identificá-lo desse maneira. Ela iguala o estado de ‘sonho lúcido’ a alteração de consciência de experiências com algumas drogas como maconha e LSD, paralisia do sono, meditação e experiências de projeção astral.

Uma em cada 5 pessoas tem pelo menos um sonho lúcido por mês

Um estudo de 1988 descobriu que 20% das pessoas afirmam ter sonhos lúcidos todo mês, enquanto outros 50% disse já ter tido um sonho assim pelo menos uma vez. O estudo também mostrou que a lucidez em sonhos é ainda mais comum para crianças – desconfia-se que seja porque crianças têm mais pesadelos e são mais vulneráveis a eles, e pesadelos frequentemente despertam a parte do cérebro responsável pela lucidez no sonho, para que o sonhador possa se dar conta que está em uma narrativa irreal e possa então transformá-la em algo diferente e menos assustador.

Alguns alimentos podem aumentar suas chances de ter sonhos lúcidos

Anota aí: um estudo de 2006 identificou que participantes que tomaram, diariamente, 250mg de vitamina B6, disseram ter sonhos mais vivos, emocionantes, com cores mais vivas e histórias mais mirabolantes. O problema é que a quantidade diária recomendada pela OMS de vitamina B6 é 100mg. O que acontece se você tomar vitamina B6 demais? Bom, registros científicos anteriores dão conta de gente que tomou de 500mg a 1000mg por dia durante meses e teve neuropatia sensorial, que é dormência e perda de sensibilidade na extremidade. Ou seja, não é uma boa ideia.

Mas você pode garantir que seu consumo diária de vitamina B6 fique dentro do recomendado e isso já vai ajudar: você a encontra em alimentos como batata, banana, pães e arroz integral, alho, abacate, gema de ovo, limão, leite e aveia, por exemplo.

Fonte : Revista Galileu


BENEFÍCIOS DOS SONHOS LÚCIDOS

Em alguns tópicos já foram abordados alguns benefícios que podemos extrair do estado mental dos sonhos. Esse é um dos temas mais fascinantes dentro das pesquisas na área. Ainda não se possui sequer, uma Teoria definitiva a respeito da finalidade dos sonhos em si, consequentemente ainda mais distante está o alcance de uma compreensão das fronteiras que podem ser derrubadas com o uso da consciência nos sonhos. Nos últimos anos porém, diversas pesquisas começaram a ser desenvolvidas. Existem estudos relacionando o desenvolvimento de habilidades motoras, possibilidade de auxílio no tratamento de certas psicoses, o próprio estudo da mente e da consciência e muito mais.

Tendo em mente essas considerações, resolvi elencar de memória algumas experiências marcantes que podem servir de exemplo de coisas para se provar com o uso do estado mental consciente nos sonhos:
Voar:  para quem recém começou a conseguir ficar consciente dentro de um sonho, talvez naturalmente já tenha ocorrido essa incontrolável vontade de sair voando. De fato, pelos relatos nas comunidades, grande parte das vezes é o que se procura de início fazer. E é uma das melhores sensações nos sonhos.
Ouvir música: uma das melhores experiências que tive. Não faço idéia de onde veio aquela música maravilhosa que eu mesmo toquei uma vez, a partir de uma guitarra muito louca que me fez ficar embevecido com tamanha arte. Arte pura e sublime.
Fazer sexo: fazer sexo com quem amamos é um presente dos céus. E usar os sonhos como playground para brincarmos com isso é alucinante… chega a dar medo de ter alguma hemorragia cerebral! rsrsrsrsrs

Explorar a memória: visitar alguma casa da infância! Até hoje tento visitar a primeira casa que tenho lembrança. Tinha 3 anos na época. Cheguei muito próximo algumas vezes. Conversar com familiares, amigos ou pessoas que já se foram…
Outra experiência que ainda tento fazer é a de voltar para uma sala de aula e fazer uma revisão de coisas importantes!…

Superação de traumas: Beverly D’Urso usou isso pra superar o forte trauma da perda da mãe. Pessoas com estresse pós-traumático, muitas vezes acometidas de fortes pesadelos, podem encontrar nos sonhos lúcidos uma ferramenta poderosa na amenização dos problemas ou na busca da sua solução.

Virar um super-herói: minha especialidade. Aliás, meus primeiros sonhos na infância, como já relatei por aqui, foram criando todo um micro-universo particular de personagens. Super-heróis, vilões, civilizações, planetas, entidades cósmicas e dimensionais… são exercícios mentais simples que fortalecem nossa imaginação e criatividade.

Mergulho no Inconsciente: os sonhos comuns propiciam isso. A psicanálise usa os sonhos como grande ferramenta. Quando ficamos conscientes nos sonhos, temos a oportunidade de ir ao encontro direto desse nosso interior. Explorar as raízes dos nossos medos, inseguranças e com possibilidades de romper com condicionamentos impostos.

Solução de problemas: perdi a conta das vezes que mencionei como o cérebro funciona de maneira diferente durante os sonhos em geral. Trata-se de um estado alterado de consciência em que nos livramos de certas amarras. Vide como gigantes de diversas áreas, a partir de sonhos comuns, obtiveram benefícios inestimáveis. Exemplos como a química(Mendelev e Kekulé), invenção(Elias Howe), literatura com o Frakenstein de Mary Shelley, Kublai Khan de Samuel Coleridge e os relatos de Stephen King. Na filosofia encontramos depoimentos de Bertrand Russell e Kant…

Exercitar habilidades: provavelmente esse seja um dos maiores potenciais a serem explorados na aplicação prática dos sonhos lúcidos. Alguém aqui lembra do “Mini-simulador da Matrix” que usaram para treinar o Neo? Em que o Mouse tinha criado uma linda mulher de vermelho?… Lá o Morpheus ensina Mr. Anderson a compreender como ele poderia não apenas exercitar suas novas habilidades, como romper com os limites impostos pela pseudo-realidade.
Está cada vez mais claro que possuímos um monumental simulador de realidade no nosso cérebro e todos podemos aprender a desenvolver o seu uso de maneira lúdica e experimental. A maneira mais eficiente e rápida de descobrirmos formas de aprimorar a utilização da consciência nos sonhos é pela troca de experiências. O que indubitavelmente estamos fazendo por aqui e nas demais comunidades.
Fonte :http://sonhoslucidos.com

MÉTODO DE THOLEY

Paul Tholey foi um psicoterapeuta alemão com uma bagagem de apenas 30 anos de experiência no uso do que chamamos hoje de “Método de Tholey”. A Dra. Jayne Gackenback, outra gigante no estudo dos sonhos, aponta esse método como de grande eficácia. Tholey trabalhou com seus pacientes, em seu dia-a-dia, na sua clínica. Invariavelmente sua experiência e estudos, aplicados diretamente com os pacientes, resultaram em uma forte percepção do melhor caminho para recordação e controle dos sonhos.

Repare que nas orientações abaixo, os exercícios de imaginação/simulação visual, devem ser ao mesmo tempo, acompanhados de questionamentos e repetidos durante o dia, de tal forma, para que ao sonhar, esse modo de criticar a realidade, seja levado junto(numa espécie de incubação/reality check).

Apresentação do Método:

1) Questione para si: “Estou sonhando ou não?”, de cinco até dez vezes ao dia.

2) Simultaneamente, procure visualizar-se num sonho, imagine intensamente que está no seu sonho e que percebe que tudo a sua volta, inclusive você mesmo, é um sonho seu.

3) Enquanto se questiona “Estou sonhando ou não?”, concentre-se não só no agora, mas procure visualizar acontecimentos passados. Percebe algo incomum ou lacunas na memória?

4) O questionamento reflexivo “Estou sonhando o não?” deve ser repetido quando experimentar emoções mais fortes ou em situações do cotidiano que lembrem uma situação típica de sonho. Situações surpreendentes ou improváveis, durante as rotinas do dia-a-dia, devem ser aproveitadas.

5) Caso acontecimentos ou algum(ns) temas sejam repetitivos ou recorrentes nos seus sonhos – por exemplo o sentimento de medo ou a presença de um gato – aproveite quando estiver desperto, para se questionar “Estou sonhando ou não?”, sempre que avistar um gato ou se sentir ameçado(ou quando se defrontar com a situação repetitiva dos sonhos enquanto desperto).

6) Alternativamente a situação anterior, se os temas mais recorrentes nos seus sonhos são experiências que raramente ou nunca ocorram no estado desperto, procure então se imaginar vivenciando aquelas cenas e dizendo para si que está sonhando.

7) Se a dificuldade é lembrar dos sonhos, deve usar técnicas para melhorar sua recordação. A insistência em obter a estrutura crítico-reflexiva(os questionamentos da realidade), irá contribuir para desenvolver essa memória dos sonhos.

8) Pouco antes de adormecer, não tente forçar a ocorrência da lucidez, martelando esse pensamento, mas apenas diga para si mesmo que ficará consciente no seu sonho. O método é especialmente eficiente quando você acorda no início da manhã e sente que dormirá fácil novamente.

9) Decida realizar uma ação ou algo especial nos seus sonhos. Qualquer ação é suficiente.

Objetivando facilitar os passos 8 e 9, Tholey  sugere maneiras(escolha uma) de manter sua consciência enquanto adormece, focando atenção nas imagens hipnagógicas do começo do sono:

Técnica das Imagens. Focalize apenas nas imagens visuais enquanto adormece.

 † Técnica do corpo. Concentre-se totalmente no seu corpo enquanto adormece. Perceba sua respiração, a maneira como os músculos de suas pernas relaxam, o peso de seus braços.

Técnica das imagens e do corpo. Direcione toda sua atenção para as imagens visuais que surgem quanto para o seu corpo adormecendo.

 Técnica do ponto do ego. Imagine que você é apenas um “ponto” do qual observa e reflete sobre o mundo dos sonhos.

╩ Técnica das imagens e do ponto do ego. Junto do foco de se imaginar como um ponto, concentre-se nas imagens que surgem enquanto adormece.

Considerando a surpreendente inteligência desse método, pode-se notar também que é um pouco mais trabalhoso, porém pode ser incrivelmente eficaz. O livro de Jayne Gackenback e Jane Bosveld, Control Your Dreams, faz referência a dois cientistas franceses que trabalharam com o Método de Tholey e descobriram que os participantes, mesmo após abandonaram seus estudos, ainda assim, frequentemente obtiveram bons resultados.

268total visits,1visits today